PFF2 e N95 são reutilizáveis e laváveis?

PFF2 e N95 são reutilizáveis e laváveis?

Os respiradores PFF2 ou N95 têm eficiência maior contra o Covid-19 do que as máscaras de pano ou as simples descartáveis porque retêm mais partículas do ar e fazem um ajuste melhor no rosto, pois são 2 elásticos que contornam a cabeça. São a melhor opção contra o coronavírus.

É importante explicar que são basicamente o mesmo tipo de máscara, e os nomes só diferem porque N95 é o padrão americano e PFF2, o brasileiro. O importante é que tenham o certificado do Inmetro e do MTE. E não devem ter válvula!

Mas atenção, elas só são recomendadas em ambientes fechados, com pouca ventilação e aglomeração de pessoas ( como supermercados, filas de hospitais e postos de saúde, academias, elevadores e etc…). Além disso, deve-se ter uma série de cuidados na sua utilização e no seu armazenamento. Isso acontece porque, assim como a máscara cirúrgica, produtos de limpeza interferem na camada de filtragem da máscara, e comprometem a proteção. Por isso, o ideal é:

  • Não lavar a máscara PFF2 ou N95 nem passar qualquer produto de limpeza, como álcool;
  • Deixá-la descansando em local arejado entre de três a sete dias após uso, antes de ser reutilizada;
  • Cada uma pode ser usada até cinco vezes, respeitando o intervalo de três a cinco dias entre um uso e outro, antes de ser descartada. Mas caso haja falhas na vedação ou se for usada em algum local com muita aglomeração e possibilidade de contaminação, como um ambiente hospitalar, deve ser descartada antes.

Durante a prática de exercícios em ambientes de alta concentração viral ( como academias) irão exigir uma proteção maior, como os respiradores PFF2 ou N95. Mas para as práticas de atividade física ao ar livre ( corridas ou caminhadas ao ar livre ou parques abertos), o ideal ainda são as máscaras de pano de 3 camadas. As camadas externa e interna devem ser de tecido hidrofóbico que permita boa passagem de ar e troca de calor, com objetivo de reduzir a umidificação da camada do meio (filtro).

Máscara PFF2 ou N95, qual a mais indicada na prevenção contra a COVID 19 ?

Máscara PFF2 ou N95, qual a mais indicada na prevenção contra a COVID 19 ?

Apesar do início da vacinação no Brasil, ainda não temos uma previsão de quando a população brasileira será imunizada por completo e o uso da máscara continuará sendo importante por muito tempo —além de outros cuidados, como lavar as mãos, usar álcool 70% para a higienização e evitar aglomerações. Para ser eficiente, a máscara deve ficar bem ajustada no rosto e cobrir o nariz e a boca.

Há opções de máscaras no mercado que são altamente recomendadas, como os modelos N95 e PFF2. Segundo estudos, ambas as máscaras conseguem filtrar de maneira eficaz as partículas do vírus que, normalmente, se espalham pelo ar, quando há tosses ou espirros, no caso. Se colocadas corretamente –não vale deixar no queixo ou o nariz para fora–, elas conseguem proteger as vias aéreas.

Apesar da nomenclatura distinta, as duas máscaras, PFF2 e N95, representam o mesmo padrão. Na certificação brasileira, por exemplo, o modelo é apresentado como PFF2; já nos Estados Unidos, o nome N95 é utilizado, de acordo com a certificação americana. Então, por aqui, não encontramos modelos com essa especificação, apenas PFF2. Diferente das máscaras cirúrgicas, peças com essas especificações podem ser utilizadas em um turno de oito horas, por exemplo, e, de acordo com a certificação, o suor não atrapalha a eficiência do filtro.

Cuidado com as máscaras de proteção não profissionais!!!
Atualmente, as máscaras de tecido têm sido amplamente utilizadas pelas pessoas para evitar a escassez de EPIs relacionados à pandemia, sendo este o melhor exemplo de equipamento não profissional.

Muitos especialistas afirmam que é impossível determinar se a instituição tem capacidade para filtrar o vírus, por isso, profissionais de saúde e outras pessoas que tenham contato direto com uma pessoa infectada não são recomendados o uso desse tipo de máscara.