CONSTRUÇÃO CIVIL E A IMPORTÂNCIA DE EPI PARA OS TRABALHADORES DESSA ÁREA

CONSTRUÇÃO CIVIL E A IMPORTÂNCIA DE EPI PARA OS TRABALHADORES DESSA ÁREA

EPIs são de extrema importância e precisam ser utilizados por todos os envolvidos em canteiros de obras, pois são essenciais para a diminuição de riscos de acidentes físicos e mortes por acidente de trabalho.

Mas quais são os equipamentos que devem ser utilizados em canteiros de obras? Como lidar com os funcionários em relação ao uso? Caso você tenha essas ou outras dúvidas sobre o EPI na construção civil, não se preocupe: confira a seguir e veja tudo o que você precisa saber.

EPI na construção civil

De acordo com a NR 6 — Norma Reguladora —, são considerados EPIs todos os equipamentos ou produtos de uso individual que são utilizados pelos trabalhadores, quando estiveram exercendo suas funções, para protegê-los contra riscos e garantir a segurança no trabalho. Na construção civil os principais itens utilizados são:

·         óculos de proteção;

·         protetores auriculares (tipo concha e plug);

·         sapatos de segurança

·         cinto de segurança para trabalho em altura;

·         luvas. 

Todos os referidos equipamentos são de uso pessoal, ou seja, cada funcionário deve possuir o seu e utilizá-lo da forma correta.

Conscientização dos funcionários

É muito importante que sejam feitas campanhas e palestras de conscientização dos funcionários em relação ao uso dos EPIs. Todos os trabalhadores devem entender os motivos do uso e compreender que é a sua própria segurança que está em jogo.

Fiscalização do uso de EPI na construção civil

Cabe aos empregados utilizarem os equipamentos de proteção de forma correta e somente para a finalidade a qual se destinam. Porém, é responsabilidade dos empregadores e seus representantes fiscalizar e acompanhar se cada um dos trabalhadores está utilizando os EPIs corretamente.

Os mestres de obra, #pedreiros, #serventes e ajudantes devem ser supervisados pelos seus superiores ou por profissionais técnicos da segurança do trabalho. Em casos em que o funcionário não esteja fazendo o uso ou esteja sendo utilizado de forma inadequada, eles poderão ser advertidos e, até mesmo, notificados.

Um detalhe importante, que os responsáveis pela obra e funcionários devem saber, é o fato de que a ausência de utilização de EPI, após notificações, pode ser considerada como justa causa.

Entrega de EPIs

A entrega dos equipamentos deve ser feita pelos representantes do empregador ou técnicos da segurança do trabalhando, sendo necessário o registro de todos os itens entregues. Pode-se utilizar uma planilha para registro e controle dos EPIs e da data de entrega para cada funcionário.

Além disso, deve-se possuir um controle físico, no qual todos os trabalhadores assinem e comprovem o recebimento dos EPIs necessários na obra.

O uso de EPI na construção civil é imprescindível por todas as pessoas que visitem o canteiro de obras. É muito importante o monitoramento constante destas pessoas, bem como que estas sigam as normas de segurança e utilizem adequadamente todos os equipamentos de proteção.

NOVO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO NO ABCD

Com excelência e eficiência no atendimento, abrangemos toda a Cidade de SP, tendo nossa Sede na Vila Ré e AGORA com nosso Ponto Comercial no ABCD Paulista.

Por sermos uma Empresa especializada em EPI´s – Equipamentos de Proteção Individual e Uniformes Profissionais.
Buscamos oferecer as melhores Marcas e Valores disponíveis do Mercado. Onde sempre priorizamos a Segurança e o Conforto de cada colaborador de sua empresa.

Faça um contato, afinal a Segurança no Trabalho depende sim do fator humano.

Contato: Whats App – 11.2629.7412

E-mail: rizia1vendas@aciasegepis.com.br

 

CONSTRUÇÃO CIVIL E A IMPORTÂNCIA DE EPI PARA OS TRABALHADORES DESSA ÁREA

PFF2 e N95 são reutilizáveis e laváveis?

Os respiradores PFF2 ou N95 têm eficiência maior contra o Covid-19 do que as máscaras de pano ou as simples descartáveis porque retêm mais partículas do ar e fazem um ajuste melhor no rosto, pois são 2 elásticos que contornam a cabeça. São a melhor opção contra o coronavírus.

É importante explicar que são basicamente o mesmo tipo de máscara, e os nomes só diferem porque N95 é o padrão americano e PFF2, o brasileiro. O importante é que tenham o certificado do Inmetro e do MTE. E não devem ter válvula!

Mas atenção, elas só são recomendadas em ambientes fechados, com pouca ventilação e aglomeração de pessoas ( como supermercados, filas de hospitais e postos de saúde, academias, elevadores e etc…). Além disso, deve-se ter uma série de cuidados na sua utilização e no seu armazenamento. Isso acontece porque, assim como a máscara cirúrgica, produtos de limpeza interferem na camada de filtragem da máscara, e comprometem a proteção. Por isso, o ideal é:

  • Não lavar a máscara PFF2 ou N95 nem passar qualquer produto de limpeza, como álcool;
  • Deixá-la descansando em local arejado entre de três a sete dias após uso, antes de ser reutilizada;
  • Cada uma pode ser usada até cinco vezes, respeitando o intervalo de três a cinco dias entre um uso e outro, antes de ser descartada. Mas caso haja falhas na vedação ou se for usada em algum local com muita aglomeração e possibilidade de contaminação, como um ambiente hospitalar, deve ser descartada antes.

Durante a prática de exercícios em ambientes de alta concentração viral ( como academias) irão exigir uma proteção maior, como os respiradores PFF2 ou N95. Mas para as práticas de atividade física ao ar livre ( corridas ou caminhadas ao ar livre ou parques abertos), o ideal ainda são as máscaras de pano de 3 camadas. As camadas externa e interna devem ser de tecido hidrofóbico que permita boa passagem de ar e troca de calor, com objetivo de reduzir a umidificação da camada do meio (filtro).